Câmara Brasileira de Serviços Terceirizados discute ações em prol do empresário

2 de Junho de 2015 às 19:26

A Câmara Brasileira de Serviços Terceirizáveis (CBST), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), realizou a primeira reunião do ano, em Brasília, no dia 26 de maio, com o objetivo de tratar de legislações e regulamentações que afetam o segmento, além de temas como o sistema de cota para aprendizes e para deficientes físicos nos setores de segurança; asseio e conservação; e postos de combustíveis. 

O coordenador da CBST, Jerfferson Simões, falou da importância de regulamentar a terceirização no País e de debater o assunto, além de atuar em defesa do Projeto de Lei aprovado pela Câmara dos Deputados, atualmente em análise no Senado Federal (PLC 30/2015). “Temos muitas polêmicas no segmento; muitas questões jurídicas precisam ser encaminhadas”, defendeu Simões. 

Os setores de serviços ligados a segurança, asseio e conservação e postos de combustíveis têm dificuldades de cumprir as cotas para aprendizes e pessoas com deficiência, em razão das características dessas atividades, que envolvem riscos ou capacitações muito específicas e ainda não despertam o interesse de jovens aprendizes, como é o caso de atividades de asseio e conservação. 

A reunião promoveu também atualização sobre temas como as Medidas Provisórias 664 e 665. O coordenador da CBST, Jerfferson Simões, disse que a CNC vai promover uma reunião com a intenção de viabilizar uma pesquisa sobre o perfil do trabalhador do setor de serviços, que é uma necessidade e uma demanda do segmento.