Vigilantes de transporte de valores encerram greve que durou oito dias

22 de Abril de 2016 às 09:00

Segundo a categoria, o retorno ao trabalho acontece na quinta-feira (21).
Paralisação afetou abastecimento dos caixas eletrônicos no Recife.

Após oito dias de greve, os vigilantes de transporte de valores encerraram a paralisação da categoria na noite desta quarta-feira (20). Após uma audiência entre o patronato, representado pelo Sindicato das Empresas de Segurança do Estado de Pernambuco (Sindesp-PE), e a categoria, representada pelo Sindicato dos Vigilantes do Transporte de Valores e Escolta Armada (Sindforte), no Tribunal Regional do Trabalho, ficou estabelecido que os vigilantes retornam ao trabalho na quinta-feira (21).O caixas eletrônicos serão reabastecidos, mesmo sendo feriado.  

“O sindicato patronal decidiu que apenas sentaria para negociar com a categoria se ela encerrasse a greve e voltasse ao trabalho. Levamos a proposta aos vigilantes e decidimos terminar a paralisação”, explicou Cláudio Mendonça, presidente do Sindforte, ao G1 pelo telefone.

Na quarta-feira (27), às 11h, uma mesa de negociação será realizada no Ministério do Trabalho. Participarão do encontro representantes do Sindforte, do Sindesp-PE, da Federação dos Vigilantes do Norte e Nordeste (Fesvine) e o Sindicato dos Transportadores de Veículos de Pernambuco (Sintrave-PE), além de uma comissão de trabalho composta pelas empresas Prossegur, Brinks, Preserve-Liserve e Corpedes.

A greve dos seguranças de carros-fortes foi motivada por uma divergência com relação ao reajuste salarial entre os dois sindicatos que representam a categoria. O antigo sindicato, denominado Sindicato dos Vigilantes de Pernambuco (Sindesv), já teria negociado o aumento da categoria em 12%, que foi proposto pelas empresas.

Parte da categoria decidiu, então, criar uma nova entidade: o Sindfort. Eles reivindicam reajuste salarial de 20%, plano de saúde, vale-alimentação no valor de R$ 25 e fim do banco de horas e o consequente pagamento de hora extra.

População teve problemas
Quem precisou sacar dinheiro durante a paralisação dos trabalhadores de transportes de valores enfrentou problemas. O movimento sindical entrou em greve no dia 11 de abril e, desde então, os caixas eletrônicos deixaram de ser abastecidos. Os clientes também reclaram de dificuldades em conseguir fazer outras operação nos caixas, como depósito em dinheiro. Como não estava sendo feito o recolhimento nos caixas, os depósitos se tornaram restritos, assim como os saques.

Fonte: Portal de Notícias da Globo - G1

Link de acesso: http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2016/04/vigilantes-de-transporte-de-valores-encerram-greve-que-durou-oito-dias.html

Redação FENAVIST
Flávia Di Ferdinando
Lorena Braga