Polícia prende terceiro suspeito de mega-assalto à Protege em Campinas

23 de Março de 2016 às 13:49
Notas de dinheiro dos cofres da empresa ficaram espalhadas após as explosões (Foto: Arquivo pessoal)

Homem foi preso na manhã desta terça-feira no bairro Vila Olímpia.
Na casa dele, os policias do Baep encontraram munições de fuzil 762 e 556.

Um terceiro suspeito de participar do mega-assalto à Protege, empresa de transportes de valores, em Campinas (SP) foi preso pelo Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar (Baep), na manhã desta terça-feira (22) no bairro Vila Olímpia.

Segundo a PM, na casa do suspeito foram encontradas munições de fuzil 762 e 556, além de uma quantia em dinheiro que ainda será contabilizada.  O homem foi levado para a 2ª Delegacia Seccional.  

A esposa dele foi detida para averiguação, e ainda de acordo com a PM, se não comprovar envolvimento no assalto, será liberada.

Prisões
O primeiro suspeito foi preso na terça-feira (15). A segunda prisão ocorreu na quinta-feira (17) em um barracão alugado no Parque Via Norte, mas a divulgação ocorreu nesta sexta-feira (18).

A investigação da Polícia Civil não comprovou ainda se os dois suspeitos têm alguma ligação. A quadrilha teria roubado R$ 50 milhões no dia 14 no bairro São Bernardo,segundo apurou a EPTV, afiliada da TV Globo. A empresa a e polícia ainda não confirmaram este valor.

No mega-assalto, os assaltantes usaram fuzis 556, ponto 50, AK-47 e explosivos para abrir o cofre. Parte do prédio foi destruída por causo do armamento pesado. 

Vídeo mostra a quadrilha
Câmeras de monitoramento localizadas próximo à Protege registraram o momento em que um carro dos criminosos para na rua e o bando dispara tiros de fuzis a esmo. Antes da fuga, a quadrilha queimou dois caminhões em alças de acesso para a Rodovia Anhanguera (SP-330) para quem segue de Indaiatuba para Campinas. Segundo a polícia, a ação foi para impedir a perseguição.

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) analisa as imagens registradas pelas câmeras de segurança da Protege durante o assalto, em Campinas (SP). O vídeo e o depoimento de testumunhas podem ajudar na identificação dos criminosos.

A corporação não descarta a possibilidade de que o crime tenha sido praticado pela mesma quadrilha que invadiu a empresa há um ano. Para especialista em segurança, além de armas pesadas, grupo tinha preparo e informações privilegiadas.

Parecia um terremoto
Paulo Velasco, aposentado, de 59 anos contou que nunca tinha ouvido e visto tanto tiro. Ao falar de como se protegeu, se emocionou. “Eu e minha esposa ficamos embaixo da cama. Ela tremia como vara verde e entrou em estado de desespero. A gente só pensa em abraçar quem está perto e sair vivo”, disse o aposentado.

Paulo sentiu as explosões dentro da casa que fica aproximadamente uns 500 metros da sede da empresa de transporte de valores. “Foram quatro explosões muito fortes, a casa da gente tremia como se fosse um terremoto”, contou Paulo Velasco.

Vizinhos protestaram
Um grupo de moradores do São Bernardo fez um ato para pedir a saída da Protege do bairro. De acordo com os organizadores, o roubo gerou um clima de insegurança para os vizinhos. Além disso, essa não é a primeira vez que a companhia é assaltada. De acordo com os organizadores, cerca de 500 pessoas se reuniram na frente da empresa e bloquearam o acesso aos carros fortes.

Fonte: Potal Globo de notícias - G1 - Campinas

Link de acesso: http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2016/03/policia-prende-terceiro-suspeito-de-mega-assalto-protege-em-campinas.html

Redação FENAVIST
Flávia Di Ferdinando
Lorena Braga