Celular salva a vida de uma vigilante durante assalto

11 de Fevereiro de 2016 às 09:15

Um celular salvou a vida de uma vigilante em Jandaia do Sul, no norte do Paraná. Na madrugada de domingo (7 de janeiro de 2016), ela realizava a ronda na empresa onde trabalha, quando foi atingida por um disparo de arma de fogo. O tiro acertou o colete de identificação, que não é à prova de balas, bem na altura do peito, onde ela tinha colocado o celular.

A vigilante conta que sempre deixa o celular no bolso da calça, mas, pela primeira vez, colocou o aparelho no colete.

“Eu sempre coloco no bolso da calça ou dentro do capacete. Nunca tinha colocado no colete. Só lembro que tirei o aparelho do bolso para ver a hora e depois coloquei no bolso do colete. Isso foi o que salvou a minha vida”, conta à mulher que não quis se identificar.

A vigilante, que trabalha em uma empresa de segurança privada, fazia a ronda na central de distribuição de uma loja de materiais de construção quando surpreendeu os ladrões. Segundo ela, ao menos três criminosos reagiram atirando.

A vigilante relata que entre ser atingida e descobrir que o tiro tinha acertado o celular se passaram dez minutos. Tempo suficiente para que o medo de morrer se transformasse em um grande alívio.

A Polícia Civil já tem nomes de pessoas suspeitas e trata o caso como tentativa de homicídio. "O crime foi configurado, porque ela foi alvejada. Os motivos disso ainda estamos investigando", diz a delegada Valesca Martins.

Apesar do susto, a vigilante já voltou ao trabalho. "O celular parou de funcionar, mas eu continuo a trabalhar", pontua.

http://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2016/02/celular-salva-vida-de-uma-vigilante-durante-um-assalto-em-jandaia-do-sul.html

Redação FENAVIST
Flávia Di Ferdinando
Lorena Braga